29/03/2012

galeria entrevista Bernardo Carvalho

Quinta-feira também é dia de entrevista na galeria portuguesa.
Saiba um pouco mais sobre o Bernardo Carvalho.


O Bernardo nasceu em Lisboa, em 1973. Estudou Design Gráfico na Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa e fez o curso de Desenho da Sociedade Nacional de Belas-Artes.
Mesmo quando ainda não sabia ler já era fascinado por histórias aos quadradinhos, pelas perspetivas e enquadramentos.
É Ilustrador e editor de livros para crianças. É um dos fundadores da editora Planeta Tangerina (que este ano foi candidata ao prémio ALMA) e amante do surf e de praia.
Assume-se como profundamente ligado aos universos da banda desenhada e da fotografia e completamente obcecado por desenhar.
Não gosta de ser repetitivo nas suas ilustrações e por isso não se prende aos mesmos materiais.
O seu trabalho tem sido reconhecido sistematicamente por prémios de todos os lados. Até da Coreia e da Venezuela.
O Bernardo foi o protagonista da terceira edição do programa Bologna a testa in su. Anualmente, um ilustrador de renome é convidado a conceber a sua visão desenhada da cidade, seguindo a filosofia de um projeto editorial dirigido tanto a adultos como a crianças. Os originais foram reunidos em exposição individual. Parabéns!

O Bernardo foi também o entrevistado mais rápido a responder até agora!

planetatangerina.com




O Planeta Tangerina faz livros para crianças mas também para adultos que gostam de álbuns ilustrados. O Bernardo quando começa a ilustrar um livro pensa nas crianças ou nos adultos?
R: Penso em fazer um livro giro para todos, mas às vezes ficam um bocado infantis e às vezes um bocado adultos.

Diz que quando acaba um livro já está farto dele e muitas vezes já não gosta das ilustrações. É muito crítico em relação ao seu trabalho?
R: É dificil de manter o discernimento e a capacidade de julgamento das coisas que faço depois de olhar muito para elas.

E quando vê um livro seu impresso pela primeira vez, que tipo de coisas lhe chamam a atenção?
R: Os defeitos, claro.





O Mundo num segundo ainda é o livro que mais gosta? Ou é o Praia-Mar?
R: O Mundo num segundo foi um livro que pela maneira como foi inventado (a meias com toda a gente no planeta) me deu um grande gozo de fazer. Adoro o assunto e a maneira como está contado. Ao nível do desenho não arrisquei  nem inventei nada mas sempre queria ter feito um livro assim meio ao estilo da BD mas sem ser BD. O Praia-Mar também gosto, ainda... ou já, não sei bem.

Teve direito a uma exposição individual em Bolonha, este convite surpreendeu-o? E como foi a experiência?
R: Sim surpreendeu. Com tanta gente a fazer coisas tão fixes, acho sempre incrível que alguém me peça para fazer desenhos para um livro. A experiência foi muito gira. Passei uma semana a passear em Bologna debaixo do maior nevão dos últimos 30 anos. Foi demais.



Se não fosse ilustrador o que seria?
R: Fotógrafo de casamentos desempregado e agricultor.

Organiza os seus dias ou trabalha por instinto?
R: Tenho de me organizar para não perder os melhores dias de ondas!
Tem projetos para um futuro próximo?
R: Estou a fazer ilustrações para um texto mais para teenagers, (que é um espetáculo) da Ana Pessoa, vencedora do prémio Branquinho da Fonseca, da Gulbenkian. Espero não assassinar o livro com os meus desenhos. Também gostava de concorrer a um festival de curtas metragens que vai haver em Lisboa.

Para além de desenhar e de fazer surf, o que mais gosta de fazer?
R: Acampar, ficar em hoteis, viajar, fotografar, plantar legumes, passear, comer, dormir, namorar, filmar, sair à noite, cinema, amigos, vinho tinto e mais 3794 coisas.




E, no dia-a-dia, o que menos gosta de fazer?
R: Responder a mails e apanhar trânsito.

Sugira alguém português que, para si, seja inspirador.
R: É uma lista interminável e nunca mais saíamos daqui. Desde desenhadores a fotógrafos a surfistas e agricultores. Há muita gente a fazer coisas muito giras.


Quem quiser conhecer o Bernardo, não pode perder no próximo sábado, dia 31, o lançamento de dois novos livros do Planeta Tangerina: Ir e Vir e Nunca Vi uma Bicicleta e Os Patos Não Me Largam (com direito a rifas e tudo).

Sem comentários:

Publicar um comentário