15/03/2012

galeria entrevista Rita Balixa

Esta quinta-feira também é dia de entrevista na galeria portuguesa.
Saiba um pouco mais sobre a Rita Balixa.


A Rita nasceu em Lisboa mas vive no Seixal.
Licenciou-se em escultura pela faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa mas sempre praticou e se interessou pelo desenho. Assim que terminou a licenciatura decidiu dedicar-se à ilustração. A sua verdadeira paixão.
Atualmente trabalha exclusivamente como ilustradora freelancer e adora o que faz. Dedica-se sobretudo ao público infantil e é uma ávida consumidora de livros relacionados com este universo. Ilustra crachás, tabletes de chocolate, cria personagens e recentemente ilustrou o livro O Velho, o Rapaz e o Burro para a editora Zero a Oito.
A Rita tem portfólio online e um blogue chamado as coisas dela, que vai atualizando sempre que pode. Confessa que adora passear por blogues alheios e ver as coisas bonitas que os outros fazem.
Trabalha habitualmente em formato digital mas é também uma apaixonada por colagens.

"Não há nada como sentir as texturas do papel, escolher as cores e no fim ter um objeto físico nas mãos, coisa que o digital não permite".

as-coisas-dela.blogspot.com
behance.net/ritabalixa



A sua verdadeira paixão é a ilustração. A escultura ficou arrumada numa gaveta?
R: Sim, a escultura acabou por ficar arrumada numa gaveta. Não que não goste dela mas a ilustração falou sem dúvida mais alto.

Quando é que se começou a interessar pelo universo infantil?
R: Acho que foi mais ou menos aos 18 ou 19 anos, quando uma pessoa começa a crescer e aprende a levar-se menos a sério e deixa de ter vergonha de mostrar o seu lado mais tolinho e infantil. Foi também nessa altura que tive a sorte de apanhar um bom professor de artes que me apresentou o Photoshop e com ele todo um novo mundo de hipóteses para explorar a ilustração.

Quais são as maiores dificuldades que enfrenta uma ilustradora freelancer?
R: As maiores dificuldades são os pagamentos, arranjar bons trabalhos é difícil, mas receber pelos trabalhos que consigo a tempo e horas é uma verdadeira aventura. Existe uma grande falta de confiança da parte de muitas empresas, onde só a ideia de pagar uma percentagem do trabalho antes de estar pronto é quase uma blasfémia.



De todos os trabalhos que já fez, há um preferido?
R: Bom, tenho alguns trabalhos que me deram especial gozo a fazer mas o meu favorito foi mesmo o livro que ilustrei para a editora Zero a Oito, pois vai de encontro ao que eu mais quero fazer no mundo da ilustração, livros infantis. E depois tem também a componente de não ser só uma mão cheia de ilustrações com determinadas características, trata-se de ilustrar uma história, criar uma narrativa, dar-lhe vida e dinâmica, é um grande desafio e um grande gozo todo o trabalho que isso envolve.

A Rita é uma ávida consumidora de livros infantis. Que histórias gostaria de ter ilustrado?
R: Há uma história do Oliver Jeffers chamada "Stuck", muito non sense que conta a história de um rapaz que fica com o seu papagaio de papel preso numa árvore e tenta recuperá-lo de uma forma muito pouco convencional, essa é sem dúvida uma das histórias que gostaria de ter ilustrado.


Ilustrou um livro para a editora Zero a Oito. Como é que surgiu esta oportunidade?
R: Bom, este livro surgiu alguns meses depois de ter contactado a editora para mostrar o meu portfolio e oferecer os meus serviços como ilustradora. Num bonito dia solarengo de Verão fui contactada pela Zero a Oito pois tinham um livro que gostariam de ver ilustrado no meu estilo e gostariam de saber se eu estava interessada e eu mais interessada não podia estar, aceitei o desafio e comecei imediatamente a pensar na história e no que poderia fazer a partir dela.

Normalmente, fica contente com o resultado final dos seus trabalhos?
R: Normalmente só publico trabalhos nos quais estou satisfeita com o resultado final, no entanto essa satisfação é sempre temporária e ao fim de pouco tempo já estou a pensar que se calhar devia ter desenhado de outra maneira ou que podia ter mais volume, ser mais dinâmico... Chego até a refazer alguns deles passados meses ou mesmo anos por gostar da ideia mas já não gostar da concretização.



Quais são os blogues que gosta de visitar?
R: Tantos blogues...vou dizer apenas alguns, se não nunca mais saíamos daqui. Ora, blogues portugueses, gosto muito da  Prateleira de Baixo com a seleção de livros e comentários da Sara Amado, do Borbotos e Barbelas com as ilustrações da Joana Rosa Bragança, do Ilustrana com os trabalhos e reflexões da Ana Oliveira, do Mãe Galinha com as histórias e desabafos da Rita Quintela acerca dos seus quatro filhos e do seu dia-a-dia atribulado. Nos blogues internacionais, posso usar como exemplo o Una flor de papel com as magnificas colagens da Cecilia Afonso Esteves e o Geninne's Art Blog com o lindíssimo trabalho da Geninne. Mas há tantos mais que me inspiram.

Organiza os seus dias ou trabalha por instinto?
R: Tento o mais que posso organizá-los. Não sou nada madrugadora mas costumo compensar trabalhando até tarde, gosto muito do sossego da noite para trabalhar. Sendo freelancer, nem sempre é fácil ter uma agenda super organizada a longo prazo pois podem sempre surgir trabalhos sem aviso prévio e assim sendo tento manter um ritmo compensado nas alturas em que não tenho trabalhos com os meus projetos pessoais. Esforço-me por ter sempre um objectivo, quer seja participar num concurso ou ilustrar um tema qualquer que me surgiu. Desenhar muito dá-me vontade de desenhar mais ainda e assim sendo faço por não estar parada.



Tem projetos para um futuro próximo?
R: Sim, tenho uma história que quero ilustrar e um monte de ideias para o fazer. Tenho-a guardada para os tempos livres e ando muito entusiasmada a esboçar em volta dela.

Para além de desenhar, o que mais gosta de fazer?
R: Gosto muito de ler, de passear, ver exposições, beber cafés em esplanadas simpáticas e conversar, adoro trocar ideias com outras pessoas.


E, no dia-a-dia, o que menos gosta de fazer?
R: Passar a ferro é sem dúvida o meu terror do dia-a-dia.

Sugira alguém português que, para si, seja inspirador.
R: Para além das pessoas já mencionadas na parte dos blogues inspiradores posso juntar à equipa os membros do Planeta Tangerina, o André da Loba, o André Letria e por aí fora...

Sem comentários:

Enviar um comentário