20/03/2012

galeria entrevista Pedro Gomes

Terça-feira é dia de entrevista na galeria portuguesa.
Saiba um pouco mais sobre o Pedro Gomes.


O Pedro mora em Lisboa mas é um cidadão do Mundo. Tem 27 anos e um percurso surpreendente.
Começou a sua formação em Arquitetura mas não se fascinou e após dois anos decidiu mudar para o curso de Design na Faculdade de Arquitetura da Universidade Técnica de Lisboa.
É um apaixonado pelo design e um pouco workaholic. Ainda na faculdade começou a trabalhar como freelancer para ateliers, associações e clientes privados.
Quando acabou o curso começou a enviar portfólios, rapidamente foi contratado pela agência Designaffairs e partiu para Munique. Quando acabou o contrato ficou por lá a trabalhar como freelancer e comecou à procura da próxima experiência. Foi contratado pela agência One&Co em São Francisco, no gabinete de design da HTC.
A empresa Arctic viu o seu portfólio online e convidou-o para colaborar no desenvolvimento de uma nova stylus para uma marca emergente. Assim, surgiu pelas mãos do Pedro a Architect Stylus. Uma stylus para tablets e smartphones com design minimal, muito leve e com a “ponta” em silicone que não danifica os ecrãs. Para além de ser útil para quem gosta de desenhar e tirar notas.
Em 2011 decidiu voltar para Portugal e criar o seu atelier. A crise estava instalada mas achou que era a altura ideal para criar mudança.
Neste momento trabalha principalmente para clientes internacionais na Suíça, Luanda, Singapura, Hong Kong e Estados Unidos com projetos de produtos eletrónicos, mobiliário, design estratégico, branding e uma área na qual se pretende focar – Envision Design.
O Pedro foi um dos 25 vencedores da competição mundial Faces of Design Awards 2012 e verá o seu trabalho apresentado a cerca de 1.200 representantes da área. Recebeu também uma menção especial do júri. Este não foi o primeiro prémio conseguido pelo designer português, o seu trabalho tem sido premiado e publicado internacionalmente. Certamente não será o último visto que é candidato a outros concursos e prémios de design, nacionais e internacionais.
Adora viajar, compreender culturas e perceber como as pessoas interagem e vêm o Mundo. É apaixonado por sushi, fanático por web browsing e não vive sem o seu Moleskine!
Inspira-se na variedade criativa que o rodeia, seja uma música, um texto ou uma imagem. Está sempre à procura do próximo desafio.

pedrogomesdesign.com
facebook.com/pedrogomesdesign






Trocou a arquitetura pelo design. Ter frequentado o curso de arquitetura durante dois anos deu-lhe bagagem para ser um designer mais completo?
R: Sem dúvida nenhuma! Isso e ter feito o 12º ano nos EUA em São Diego, o que me abriu horizontes e perspetivas.
Penso que entrar na Faculdade aos 18, por vezes aos 17 é extremamente cedo. Há que amadurecer, viver e experienciar. Os 2 anos de Arquitetura foram exatamente isso... uma experiência imprescindível que me deu mais bagagem para abraçar aquilo que realmente era a minha paixão – o Design!

Tem o design português em boa conta?
R: Cada vez mais. Confesso que era mais virado para o Design Internacional e trabalho de agência... mas o Design Nacional tem vindo a crescer cada vez mais, com uma qualidade impressionante e com uma abordagem muito interessante.



Como foi trabalhar no estrangeiro?
R: Ir trabalhar para fora sempre fez parte dos meus planos. Sou uma pessoa dada a novas experiências, novos desafios. Sendo assim no fim do meu curso comecei a enviar portfólios e tive a felicidade de ser rapidamente contratado. Foi um processo muito interessante e gratificante.

Decidiu regressar a Portugal numa altura em que o país estava altamente instável financeiramente. E diz que aproveitou esse periodo para "criar novos modelos de negócios". Mas a situação económica não melhorou, pelo contrário. Tem conseguido remar contra a maré?
R: Estava não... está. Regressei somente há menos de 8 meses e o meu investimento em Portugal já tem dado resultados.
Penso que a instabilidade, é na sua essência, um motor de inovação. A agitação e violência dos mercados permite a implementação de novas mentalidades, novas maneiras de pensar!
Parte do processo de “remar” é usar a criatividade para encontrar novos caminhos. Se calhar em vez de remar contra a maré, podemos remar com a maré, mas com destinos e perspetivas diferentes?! ....


Com uma boa proposta voltava a ir para fora? Ou está bem aqui?
R: Já tive várias boas propostas mas não faz parte dos meus planos sair. Vim para ficar e investir... agora é trabalhar para crescer conjuntamente com os meus clientes!

Quando concebeu a Architect Stylus percebeu imediatamente que tinha na mão um produto com muito potencial?
R: Não foi uma perceção imediata mas essa é uma consciência que cresce durante o processo de design. Fico muito contente que a Architect Stylus esteja a ser um sucesso e espero que o mesmo aconteça com o próximo produto que estamos a desenvolver! Novidades para muito brevemente.


Estes prémios que tem recebido transformam-se em oportunidades e mais trabalho?
R: Estes prémios são sem dúvida um passo para novos clientes e oportunidades. O reconhecimento internacional permite uma projeção com mais credibilidade e uma posição mais sólida num mercado competitivo.

O que é exatamente Envision Design?
R: Envision Design é uma vertente do Design mais virada para o design conceptual. São poucas as empresas que investem nela mas espero que o mercado venha a crescer, pois é uma abordagem essencial para algumas empresas.
Envision Design é ferramenta estruturada que através de um pensamento estratégico, organizado e criativo permite o desenvolvimento de conceitos que prevêm tendências de mercado a um médio, longo prazo.
Trata-se duma área perto do Cool Hunting mas que se distingue pelo desenvolvimento de produtos ou serviços para o futuro que respondem a modelos de negócio emergentes ou tendências de mercado com projeção a longo prazo.
Esta é uma área essencial a muitas empresas pois permite planear o seu desenvolvimento a longo prazo e orientar investimentos tendo em conta os resultados. Empresas como a Philips / Nike / Electrolux fazem-no e com resultados visíveis!

Organiza os seus dias ou trabalha por instinto?
R: Sou muito organizado, mas o instinto tem um papel muito importante no meu dia-a-dia. É um equilibro entre os dois ...

E qual é o próximo desafio?
R: Muitos ... mas destaco a criação de um novo projeto / atelier / agência de Design com o Designer Daniel Pera. Estamos neste momento a desenvolver a estratégia de comunicação e a estabelecer parcerias estratégicas com empresas Nacionais e Internacionais.
Vai ser um novo desafio que servirá de base para muitos outros!
Estou confiante e curioso para ver o que 2012 nos reserva...

Para além do design, o que mais gosta de fazer?
R: Adoro viajar e viver a Natureza!!!! Comer sushi, uma boa saída com os meus amigos, ... Adoro recarregar as baterias junto ao Mar (essencial!). Adoro desenhar e fazer desporto (Natação e recentemente conheci o prazer da corrida) ...


E, no dia-a-dia, o que menos gosta de fazer?
R: Talvez responder a emails durante horas... e muitas vezes perceber que 24 horas num dia não chega!

Sugira alguém português que, para si, seja inspirador.
R: Tal como em outras entrevistas não gosto de me comprometer com uma sugestão. Torna-se demasiado redutor, ainda mais quando há um crescente número de canais como este, que dão a conhecer inúmeros Portugueses que fazem algo de especial... inovador. Este espírito Nacional... este espírito de mudança... de acreditar e fazer por melhor... isso sim é algo que me inspira!

Sem comentários:

Publicar um comentário